Originalidade: um ato de destruição criativa

originaisA última vez que você teve uma ideia original, o que você fez com ela?

Existem dois caminhos para a realização: o conformismo (manutenção do status quo) e a originalidade, que envolve introduzir e impulsionar uma ideia que seja relativamente incomum em determinada área que possa ser beneficiada por ela.

Infelizmente, a maioria das pessoas vive aceitando o que é colocado como padrão, racionalizando o status quo como legítimo, se consolando que o sistema é assim e que não há nada que pode ser feito para mudar.

O ponto de partida para originalidade é a curiosidade, é estar diante de alguma convenção, mas observá-la sob uma perspectiva que permita novas ideias em relação a velhos problemas.

Segundo o economista Joseph Schumpeter, a originalidade é um ato de destruição criativa. Requer derrubar o modo antigo de fazer as coisas, mas hesitamos porque temos medo de balançar demais o barco. Optamos pela autocensura.

Para estender a originalidade além da aparência, originais famosos mostram que é preciso assumir riscos radicais, dar boas vindas à incerteza e ignorar a aprovação social, ser rebelde, revolucionário, criador de caso e impermeável ao medo, à rejeição e ao ridículo.

É mito que a originalidade exige assumir riscos extremos. Os originais são pessoas mais comuns do que se imagina. São pessoas que equilibram riscos em um portfólio, que se mantém em empregos regulares enquanto estão fundando novas empresas, que constroem pontes entre pensamento e ação.

Originais sentem os mesmos medos e dúvidas que qualquer pessoa. A diferença é que, mesmo assim partem para a ação. Sabem que fracassar lhes teria menos desgosto do que nem tentar.

Originais – Como os inconformistas mudam o mundo. GRANT, Adam. 2016.

Atender é acolher!

atendimentoTudo começa no atendimento e se tem uma coisa que os clientes querem é serem bem atendidos, ou melhor, acolhidos. As 3 perguntas a seguir irão te oferecer um serviço cada vez melhor e as respostas para cada uma delas podem definir as ações que te auxiliarão a ter um excelente atendimento.

O que os clientes esperam de mim e da empresa? Pense sobre  as expectativas e necessidades dos clientes. Se você não souber quais são elas, observe em sua volta, pergunte. Os mais experientes e com mais tempo e casa poderão lhe ajudar com relação a isso.

Como áreas de apoio funcionam para atender os clientes? Faturamento  e expedição, por exemplo,  são áreas de apoio que podem trabalhar harmonicamente em favor dos clientes. Considere quem você precisa ao seu lado para colaborar em seu atendimento.

Quais os detalhes que fazem uma grande diferença na satisfação dos clientes? Interessar-se pelo que é importante é uma das premissas de um grande atendimento.

O fato é que o atendimento representa a empresa e representar a empresa perante os olhos do cliente é o que torna o trabalho do atendimento desafiador. É por meio dele que se extraem insumos importantes que ganham forma e substância. Em outras palavras, o poder está em suas mãos e fazer com que os clientes voltem depende de você.

Ética Profissional

éticaÉtica profissional tem respaldo em comportamentos que são adequados para uma boa convivência num ambiente corporativo. Deve vir descrita na política interna da empresa (conjunto de normas e regras que devem ser seguidas pelos seus colaboradores). O documento, uma espécie de guia, é utilizado para que os todos convivam de maneira harmoniosa num clima favorável, amigável e produtivo e também para que a empresa cresça de maneira saudável.

Portanto, um bom profissional será reconhecido não apenas pelos conhecimentos técnicos, bom relacionamento com os colegas e habilidades comportamentais, como também pela sua conduta ética na organização. O grupo de valores e normas que direcionam as ações dos colaboradores e clientes, internos e externos, é considerado de extrema importância para garantir não só um bom clima organizacional, como também fazer valer a reputação da marca.

Cada organização deve ter seu próprio guia de conduta, porém existem alguns elementos que são universais, tais como a honestidade, a responsabilidade e a competência. O maior benefício ao aplicar tal conduta no ambiente profissional é a garantia de uma empresa salutar e para compreender melhor quais são essas benesses, listamos abaixo alguns dos pontos:

  • Favorecimento da criação de motivação para capacitação profissional e de um cenário que permita desenvolvimento técnico e pessoal; Construção de espaço para o exercício do autoconhecimento.
  • Solidificação dos relacionamentos interpessoais; Respeito com as características físicas e mentais e com a escolha sexual, de religião, de opinião política ou de filosofia de vida de todos.
  • Surgimento de novos talentos com mais facilidade; Crescimento dos resultados da empresa que só acontecerá se todos os colaboradores seguirem os princípios descritos.

Com normas de conduta muito bem definidas, as pessoas se respeitarão mais e o clima organizacional será colaborativo, o trabalho em equipe fluirá, além do respeito mútuo e do crescimento generalizado trazido pelos resultados positivos alcançados.

comportamentos que atrapalham os relacionamentos

relacionamento

Você já parou pra pensar o quanto seu trabalho pode estar afetando de modo negativo seus relacionamentos? Ou quantas pessoas você conhece que mudaram seu jeito de ser por causa do excesso de trabalho? Passaram a rir menos, ficaram mais caladas, mal-humoradas, com pouca energia e com baixa autoestima?

É preciso mudar isso urgentemente porque o trabalho não deve nem pode ser um sacrifício. Se mesmo trabalhando muito, o resultado que se consegue não é o que se espera, a tendência é investir ainda mais em sua dedicação. Com o passar do tempo a autoestima vai diminuindo e cada vez mais o indivíduo irá se sentir incapaz, frustrado, desmotivado.

A partir desse momento a vontade de se relacionar com as pessoas ao redor diminui. Sem tempo e sem energia suas interações pessoais, como lazer e prazer, são prejudicadas.

Quando os resultados esperados não são alcançados, os problemas na vida pessoal podem surgir. Por exemplo, se a meta de vendas não foi atingida ela pode abalar seu orçamento familiar e talvez a tal viagem planejada durante tanto tempo pode ser cancelada e assim causar grandes frustrações nas pessoas que esperavam contar com você para que isso acontecesse.

A falta de dinheiro é um fator que pode provocar sérios desequilíbrios nos relacionamentos. Muitos começam a cortar coisas que antes proporcionavam prazer e interação em conjunto como a TV por assinatura, a pizza do domingo, a ida à academia. Alguns chegam ao ponto de alimentarem-se mal para reduzir gastos no supermercado! Todas essas atitudes irão afetar diretamente o bem-estar e não ajudam, para piorar deixam as pessoas num círculo vicioso.

Separar a vida particular da vida profissional não é uma tarefa tão simples como todos dizem porque somos um só indivíduo e todos os aspectos de nossas vidas influenciam em nosso cotidiano. Ninguém vai se sentir bem num relacionamento se estiver sempre com dificuldades no trabalho.

É por isso que a inteligência emocional é tão importante para se manter centrado naquilo que realmente precisa receber sua atenção a cada momento. É necessário ter consciência e percepção das mudanças e assim desgastar-se menos. Todos temos bons e maus momentos, é preciso entender isso e saber lidar com cada um no seu tempo. Contudo, existem coisas que não mudam e nesse caso, adaptar-se. Separar as pessoas dos problemas, ser dono de suas próprias emoções e principalmente identificar quando a situação está tensa para reagir com objetividade e foco.

O céu é o limite! Portanto, use seu tempo com inteligência e identifique qual o seu inimigo, o que fato está te pondo pra baixo e prejudicando seus relacionamentos.  Desapegue-se das derrotas e também dos sucessos passados. É salutar livrar-se dos mitos que assombram o mundo dos negócios para que se possa rever quais são os critérios de suas escolhas e assim, reescrever sua própria história.

 


 

Texto baseado em O Vendedor Inteligente. LEMOS, Ricardo. 2014.

Pontos-chave para o planejamento da administração

planejamento

A administração de qualquer recurso ou empreendimento está fundamentada sobre quatro princípios básicos, que formam um circulo de interdependência: planejamento, organização, controle e direção. Hoje falaremos sobre PLANEJAMENTO. Planejar é analisar, preparar e estruturar as melhores estratégias e condições para a concretização do objetivo esperado. Uma organização bem sucedida depende de planejamento e, sem ele, o caminho a ser trilhado é bem mais exaustivo e fadado ao desgaste por causa de decisões errôneas ou ações desnecessárias que podem limitar os processos em vez de aproximar do resultado esperado. Sendo assim, selecionamos três pontos para o planejamento da administração. São eles:

Planejamento de cenário. É a etapa posterior do planejamento geral de uma organização, feito pela gerência sênior. Os administradores devem ter a capacidade  de planejar sabiamente e detalhar cada aspecto como por exemplo, conseguir visualizar o panorama todo em 360 graus. Na guerra do mundo corporativo, quem organiza o cenário vence a batalha mesmo antes dela ter começado.

Planejamento de visões. A primeira coisa que o líder deve ter após cumprir o planejamento estratégico. A visão depende aqui de todos que fazem parte da organização porque todos precisam escrever juntos a visão principal da empresa para que possam seguir a mesma direção de trabalho.

Planejamento de missões. A fim de que a meta da organização se torne real, é necessário detalhar sua visão em objetivos menores. Tudo que foi planejado antes desse estágio constitui a atitude de uma empresa.

Seguindo estes passos é possível estruturar os melhores caminhos para o alcance das metas determinadas, além de definir quais serão as ações assertivas para a produção dos resultados esperados.

 

Growth Hacking: Inovar para crescer

278161646007211

Talvez em algum momento você já tenha se deparado com o termo Growth Hacking. Essa expressão vem sendo bastante usada nesses meios, uma realidade para muitas empresas hoje em dia que vem ganhando cada vez mais espaço.

Growth Hacking é um termo criado por Sean Ellis, empresário, investidor anjo e consultor de startups. Segundo ele a definição mais correta é: marketing orientado a experimentos que em outras palavras quer dizer “encontrar oportunidades/brechas (hacks) para o sucesso e criar estratégias específicas visando resultados rápidos para o crescimento (growth) da empresa.”

Ou seja, o objetivo Growth Hacking é encontrar possibilidades com o intuito de resultados rápidos para o crescimento da empresa.

Sean Ellis percebeu ao longo de seu trabalho como consultor que as empresas paravam de inovar voltando a estagnar. Sendo assim, buscou formar profissionais para dar continuidade ao trabalho que ele havia implementado. Surgia assim a figura do growth hacker.

Além do conhecimento de marketing, o growth hacker precisa saber como as pessoas pensam ao longo da jornada de compra, como reagem e pelo que são motivadas, entender muito bem de processos, metodologia de experimentos, tecnologia e acima de tudo, psicologia do consumidor. Ele busca na experimentação a comprovação de suas hipóteses. E tanto pode ser uma realidade no marketing, quanto na área de vendas, na controladoria e em qualquer outra área da empresa onde existam potenciais gatilhos de crescimento.

Um dos melhores exemplos de Growth Hacking é o Facebook, que encontrou  uma maneira de manter as pessoas conectadas entre si através de redes sociais, do boca a boca e de indicações, ao invés de apelar ao público dentro do mundo dos negócios. Ao convidar uma pessoa para o site e colocá-la conectada a outras pessoas, ela vai indicando mais pessoas e aumentando a quantidade de seguidores no site. Outras redes como Twitter e LinkedIn e aplicativos de bate papo como WhatsApp, por exemplo, usam da mesma estratégia de indicações e contatos para crescer.

A André Luna Consultoria, entre os mais diversos métodos de aperfeiçoamento, utiliza o Growth Hacking em alguns de seus treinamentos. Que tal combinarmos um cafezinho para falarmos mais a respeito?

Seja honesto consigo mesmo

rawpixel-597440-unsplashNo dia a dia da empresa, somos colocados diante de situações que são verdadeiras provas de nossas crenças morais. Vejamos a história abaixo:

Um mestre vivia com um grande número de discípulos sobrevivendo de esmolas e doações. Sempre estavam reclamando das condições precárias do templo. Um dia, o mestre deu a seguinte orientação:

Vão para a cidade e roubem bens que poderão ser vendidos para arrecadar dinheiro. Só assim poderemos fazer uma boa reforma em nosso templo. Peço que roubem apenas quando ninguém estiver olhando, não quero que ninguém seja pego.

Os discípulos ficaram espantados por esse tipo de ideia vir do sábio mestre, mas mesmo assim não protestaram e todos, com exceção de um, foram para a cidade.

O sábio mestre se aproximou do rapaz que não quis ir e perguntou-lhe:

Porque você ficou para trás?

O jovem respondeu:

Eu não posso seguir suas instruções para roubar onde ninguém esteja me vendo. Não importa aonde eu vá, sempre estarei olhando para mim mesmo. Meus próprios olhos me verão roubando.

O sábio mestre abraçou o garoto com um sorriso de alegria e disse:

Eu estava somente testando a integridade dos meus estudantes e você é o único que passou no teste!

Após muitos anos, o garoto tornou-se um grande mestre.

Manter a integridade é como andar de mãos dadas com quem se confia e vencer cada prova vai depender exclusivamente da confiança que depositamos em nós mesmos .

TEXTO EXTRAÍDO DO LIVRO O QUE PODEMOS APRENDER COM OS GANSOS.